9 de fevereiro de 2011

O pirilâmpo e a Cobra.


Era uma vez uma cobra que corria atrás de um pirilâmpo, Ameaçava comê-lo.

Este assustado, fugia sem cessar.

Ora se escondia, ora despistava a sua predadora, mas esta não desistia do seu objectivo.

Ao fim de três dias, o pirilâmpo já sem forças, cansado de tanto correr, de tanto tentar escapar... Encara a cobra e faz-lhe um pedido:

- Posso fazer-te três perguntas?

A cobra, olha a sua presa com espanto... e responde.

- Eu não costumo abrir tal precedente, contudo fiquei curiosa e por isso vou deixar-te perguntar o que tanto desejas.

O pirilâmpo pergunta:

- Faço parte da tua cadeia alimentar?

Cobra: - Claro que não!

Pirilâmpo: - Fiz-te algum mal?

Cobra: - Não! Isso era impossível!

Pirilâmpo: - Então explica-me porque não me deixas em paz e me queres comer?

Cobra: - Porque não suporto ver o teu brilho, porque não aguento toda essa luz que faz de ti algo único e que me anula!


Agora eu acrescento:

O que às vezes acontece é que as cobras se engasgam.

15 comentários:

Blogaparte disse...

Dona Petra, bela história... que poderia ter como título A parábola da Inveja.
Mas olhe que ás vezes também se descobre que alguns, que julgámos serem pirilampos também são apenas cobras disfarçadas...

Brown Eyes disse...

ahahahahah Esta história nunca tinha ouvido e é excelente para os invejosos. A esses não precisas de fazer nada basta o teu brilho para eles te querem comer. Que culpa temos nós de eles serem apagados e medonhos? Mas o Blogaparte tem razão: Há cobras disfarçadas de pirilampos. Há quem se disfarce para conseguir os seus objectivos.
Beijinhos

Carla disse...

Muito boa a história e como se adequa tão bem a certas pessoas :)
Bj

Nina disse...

Já reparaste, primita, como o Blogaparte vai dizendo alguma coisa de jeito?
Não acrescento nadinha ao que disse.
beijinhos

Bailarina disse...

Ou morrem com o seu próprio veneno!! Explica-me lá as teorias do Freud, a que te referiste no meu blogue... 8)

omeuestranhoplaneta disse...

Que bela história para começar o dia! :) obrigada! :) Beijinhos

Tanita disse...

Há por aí tanta cobra invejosa.
O que vale, é que mais cedo ou mais tarde engasgam-se mesmo!
Bj**

disse...

Espectacular a forma como podemos trocar a cobra por tantas pessoas que por aí andam...

dinona disse...

Já sabes que convêm aprender a fazer a manobra de Heimlich lol

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Bem verdade...

Bé* disse...

Adorei a capacidade de construires a história, com o poder de ser interpretada de várias formas!;)

Poetic GIRL disse...

Bem sábia esta tua história e ilustra bem as cobras que se cruzam no nosso caminho! bjs

Petra Pink disse...

Blogapart: tens razão sim! E há que ter cuidado com essas cobras disfarçadas!
Brown: sim são apagadas que paguem a conta da EDP... looolll.
Nina: sim o blogaparte prima é um poço de sabedoria lol....
Mas tenho saudades do oops também.
Carla: Sim e nós conhecemos bem esse tipo de cobras...
Só que morrem com o próprio veneno...
Bailarina: eu depois explico-te!
Beijo a todos!

Petra Pink disse...

Omeuestranhoplaneta: ainda bem que gostaste! volta sempre!
Tanita: as que conheço têm se engasgado e bem...
mais tarde ou mais cedo.
Bê: adequa-se mesmo não é?
Pipoca: sim bem verdade....
Bé: bem-vinda! ohh a história não é minha... é uma história brasileira muito antiga!
Mas ainda bem que gostaste!
Poetic GIRl: Sim elas aparecem no nosso caminho mas ha sempre maneira de as enchotar! beijo a todas.

Petra Pink disse...

Dinona: sim convém mesmo!! lool bjo