21 de fevereiro de 2012

Do luto



Diariamente no meu trabalho, lido com as mais variadas situações.



Desde a tão falada depressão. A qual é originada por factores internos ou externos os quais nem vou inumerar pois nunca mais pararia de escrever...



Até aos casos de perturbações de ansiedade, distúrbios alimentares, vítimas de violência / abuso e até mesmo psicoses.



Cada um me toca de formas tão diferentes que não saberia exprimir aqui.



Se uns admiro pela força e capacidade de lidar com algo terrível, noutros observo relutância em avançar, mas com o tempo tudo se vai encaixando até porque cada caso é um caso e cada pessoa precisa de um timing específico para cicatrizar as suas feridas e aprender a viver com as marcas que nunca se apagam.



Porém existe algo que me toca profundamente... Pais que perdem filhos.



Aquela inversão no ciclo vital da família que tanta dor e sofrimento provoca.



Flores que são colhidas antes de desabrochar, e que deixam uma árvore mutilada.



Porque se novas flores poderão surgir na primavera, nenhuma outra ocupará o lugar da que não desabrochou.




16 comentários:

Orquídea Selvagem disse...

Não deve haver dor maior nem mais cruel que a dor de perder um filho... porque é aquela que nunca se aceita e por isso as feridas nunca chegam a cicatrizar.

Um beijo solidário para com aqueles que já sentiram essa dor.

Alexandre disse...

Deve ser tão frustrante um pai perder um filho. A dor deve ser tão, tão grande!

Di disse...

Lindo!!!!!!!!!!!

Confuskos disse...

Eu não sei lidar com o luto. (ponto final)

E acho que nunca vou aprender a lidar com a morte!
Para isso servem as "Tu" para nos ajudar nestas coisas....

Beijinho Peste*

Tanita disse...

Isso é tão anti-natura, nunca mas nunca deveria acontecer. >Nem quero imaginar uma coisa dessas.

CG disse...

Deve ser uma dor inimaginável. Nenhum pai deveria ter de passar por isso.

Big Kisses

Brown Eyes disse...

Lidar com a morte não é fácil, há quem nunca consiga
beijinhos

conchita disse...

Tens toda a razão, deve ser uma dor insuportável, nem imagino!!
Uma boa semana:)

NI disse...

Desde muito nova que lido com a morte de pessoas muito queridas. Perdi prematuramente avós, pais, tios, primos, amigos e colegas.

Mas não consigo imaginar perder um filho. Nem consigo avaliar a dor. É contra natura. Tão simples quanto isto.

Beijo

Campista selvagem disse...

Eis uma verdade cruel.

Bea disse...

gostei muito prima...é bom quando falamos do q nos toca.
beijinho

Inês disse...

A inversão da ordem natural da vida é algo de estúpido, de frustante.Nem sequer devia acontecer.

Petra disse...

Orquídea: é mesmo isso uma dor imensa
Alexandre: sem dúvida.
Confuskos: pois mas olha que nem sempre é fácil lool.
Tanita: mesmo anti natura´, daí ser tão terrível e difícil de aceitar. beijo a todos..

Petra disse...

Di: obrigada!
CG: inimaginável mesmo.
NI: as vezes é melhor nem pensar, e tu que és mãe precebes bem isso.
Brown: sim há mesmo quem não consiga e sofra toda a vida centrando-se na tragédia.
Campista selvagem: cruel de mais não é?... volta sempre!
beijo a todos.

Petra disse...

Conchita: é mesmo... uma boa semana também para ti.
Bea primita, toca-nos profundamente.
Inês: frustrante sim aí está algo muito acertado.
beijo as 3

Conto de Fadas disse...

Essa música faz-me impressão por causa disso, é tão triste...