21 de julho de 2012

Crónica do ressabianço...

A gaja ressabiada sofre de uma doença muito comum o umbiguísmo.
Ela tem sempre do que se queixar, uma borbulha na testa, uma dor de cabeça, um colega no emprego que "pode ser mais competente"  "e porque isso a enerva" já é uma besta"!
A vizinha do lado que passou por uma fase complicada mas que agora se reergueu, até está mais bonita, encontrou um novo amor e até já sai mais vezes para se divertir.
 "É uma estúpida que arranjou algum burro que a quis aturar, mas que será por pouco tempo! Porque ele vai abrir os olhos e ver a sonsa que ali está"! Sim estes seres nefastos também gostam de rogar pragas, muitas vezes alucinam e devem se julgar divindades da moral e bons costumes.
A gaja ressabiada, devido ao seu "já referido umbiguísmo crónico", é incapaz de ver para além do seu mundinho básico e restrito.
Daí o facto de nunca conseguir fazer uma crítica construtiva.
Pelo contrário critica cortando a direito com opiniões ordinárias e contraditórias.
Muitas vezes pensa o contrário, mas por conforto, por inveja ou simplesmente por necessidade de dar corda à língua, fala mal de tudo e de todos com um veneno capaz de aniquilar um elefante.
A gaja ressabiada, sofre também da forte incapacidade de tecer elogios.
Normalmente até aceita que se possa enaltecer/ elogiar alguém, mas encontra sempre algo de negativo, tem sempre uma coisa menos simpática para dizer e só se existir algo que a favoreça, é que então com um sorriso carregado de manha diz algo de bom.
A gaja ressabiada, acha sempre que toda a gente que tem um "bom emprego" foi por cunha, ou entrou na horizontal.
Na sua maneira de ver o mundo, ninguém para além de si é capaz de ser competente e obter algo por mérito, dado que ela mesma é um ser bom, repleta de santas intenções, e que dado o seu ego "por fora cheio que nem um balão e por dentro vazio e carregado de insegurança"... Toda a gente é maldosa e interesseira.
E se ela não tem na vida nada que a satisfaça, incomoda-lhe sobremaneira que os outros tenham.
Seja uma relação feliz, seja um trabalho interessante, sejam relações sociais saudáveis e satisfatórias,
Se ela não tem, "o  que geralmente se confirma", mais ninguém o pode /devia ter.
Naquelas cabecinhas vazias, a palavra altruísmo não existe e só de pensar nela assusta.
A gaja ressabiada, tem sempre à mão um dicionário das mais variádas formas de deitar alguém abaixo.
Umas vezes colocando defeitos na aparência de outrem, espetando unhadas desadequadas sem sequer se olharem no espelho, outras vezes contradizendo tudo que os outros dizem de forma mordáz e sem se darem conta que pouco tempo antes concordavam com aquilo que acabaram de refutar.
Adoram dissertar grandes discursos bacocos acerca de situações que nem sequer se dão ao trabalho de explorar antes de falar, apenas pelo gosto de cuspir maldade, o que só sublinha ainda mais a sua postura ridícula.
A gaja ressabiada raramente se presta a ajudar sem antecipadamente fazer um cálculo dos "louros" que essa ajuda prestada a outra pessoa lhe possa trazer.
No trabalho normalmente derretem-se a lamber botas de superiores, o que até lhes pode trazer um qualquer benefício, mas o facto de serem vistas como seres vulneráveis e conflituosos, acabam por se envolver muitas vezes em chatices que na maior parte das vezes poderiam evitar.
Quando perdem o emprego, "devido a intrigas e conflitos que provocaram", normalmente há alguém em quem depositam as culpas, e quando conseguem avançar para um novo trabalho as queixas voltam a ser as mesmas, apesar do lugar, e as pessoas serem totalmente diferentes.
Passam a vida a desejar em silêncio aquilo que não têm, mas recusam-se a tentar mudar a atitude face à vida infeliz que levam. 
São caracterizadas por uma personalidade teatral, pouco seguras e com uma disponibilidade nula para dar um pouco de si a quem quer que seja.
Resumindo e concluindo, gente que sem se aperceber, vai escavando a própria cova.
P.S tudo que foi escrito em cima também se aplica aos homens, afinal o ressabiamento não está presente apenas no sexo feminino.
Contudo, nos machos verifíca-se em menor quantidade!

15 comentários:

Imperatriz Sissi disse...

Conheço pessoas assim- arredo-as em dois tempos. Parecem conservadas em vinagre e cansam as almas!

S* disse...

Adorei. Tal e qual. Há gente mesmo infeliz.

TehTeh disse...

credo Petra, quem te terá pisado e feito ficar neste estado! unfelizmente, acho que no fundo, uns mais que outros, temos um pouco do dito umbiguismo dentro de nos...eu se calhar serei só eu, não sei...

xoxo

Petra disse...

Imperatriz: é mesmo para arredar até nos faz mal tanta energia má.
S* eu sabia que ias gostar lol.
TehTeh: ninguém me pisou! Claro que todos nós por vezes sofremos de um tal umbiguismo, até porque durante a vida existem fases que nos tornam assim.
Eu aqui faço uma caricatura de pessoas que são assim sempre, e que vivem da infelicidade dos outros.
Fica descansada que ninguém me fez mal beijo grande a todas.

Inês disse...

Grande post!!
E sim todos temos um pouco de umbiguismo, mas grave mesmo é quando ele salta cá para fora de forma exagerada.

Brown Eyes disse...

Quem será ela? Porque é ela assim? Muita gente acaba por olhar só para o umbigo, afinal é o que vê à sua volta e ou fica assim ou acaba esmagada. A união é cada vez mais utópica e o individualismo vai criando raízes. Beijinhos

Tanita disse...

Porque é que essas pessoas não pensam mais nelas e na vida delas? se calhar eram bem mais felizes.
Bj**

Vera, a Loira disse...

Ui... conheço umas quantas e também alguns, infelizmente...

Tanita disse...

Bj** e bom fim-de-semana

A♥ disse...

Essas pessoas são umas verdadeiras infelizes, em todos os sentidos.

Big Kisses

Imensidão dos dias disse...

Conheço algumas pessoas assim e tento fugir delas a sete pés.

Di disse...

Nina, sem dúvida q há imensa gente assim.. essas pessoas roubam-nos td a energia positiva que temos..por isso à q ter cuidado e evitá-las pois mesmo sem nos aperceber-mos destroiem a nossa auto-estima. Gente assim só mesmo distantes tipo na China hehehehe

Orquídea Selvagem disse...

Não tenho paciência para pessoas assim. São normalmente pessoas azedas e mal amadas e que também não sabem amar, entregar-se aos outros... e nem conhecem sequer a palavra altruismo!

Um abraço para ti do tamanho do mundo :)

Petra disse...

Inês: completamente. Gente curta de mente.
Brown: ela são muitas lol.
Tanita: eu acho é que pensam muito nelas mas de uma forma distorcida.
Imensidão: fugir mesmo.
A? Muito muito infelizes mesmo, e há que ter cuidado para não atingirem os outros com essa maldade.
Orquídea: azedume do forte, tal como disse a Imperatriz, vivem metidas no vinagre.
Di: temos de cuidar para que não nos roubem a energia.
Beijo a todas.

Petra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.