26 de abril de 2010

E há coisas que nos fazem crescer... e aprender!



Faz por esta altura um ano que se iniciou a única ruptura verdadeira que tive com uma amiga.

Não era uma amiga qualquer... Era praticamente uma irmã.


Quando nos conhecemos houve logo aquela compreenção imediata que seríamos muito próximas!


Não sei explicar o porquê, até porque sempre fomos muito diferentes, mas demos-nos logo bem!


Durante 6 anos fui para ela um dos poucos e sinceros ombros amigos que teve.


Era uma miúda muito insatisfeita com ela mesma, exigente de mais com os seus objectivos, e como a fasquia era sempre alta na maior parte das vezes acabava por caír.


Nessa altura fui eu quem lhe deu a mão, porque muitas vezes os amigos que ela achava ter a seu lado, apenas estavam la para fazer intriga e jogar sujo.


Durante muito tempo fui para ela como uma irmã mais velha, e se fosse estar aqui a resumir tudo que fui capaz de fazer por ela não saía daqui tão cedo.


O facto de ter tido uma família extremamente castradora não a favoreceu em nada claro está, pois acabou por se transformar numa menina cheia de medos e com um auto-conceito totalmente distorcido.
Eu que a conhecia sabia que se afogava em solidão.

No entanto conseguia ser uma miúda doce, alegre e bem disposta que fazia rir toda a gente à sua volta,Com o intúito de tentar empurrar mais para longe as insatisfações e frustrações que tanto a perturbavam.

Éramos unha e carne! Trocávamos mensagens a toda a hora loll, e falávamos ao telemóvel sempre que podíamos!

Quando era possível estarmos juntas não nos faltava assunto e muitas vezes bastava um gesto para compreendermos o que se passava uma com a outra!


Amizades destas há poucas e quem as tem que as guarde bem numa caixinha!


E perguntam vocês porquê houve uma ruptura se nos dávamos tão bem?

Pois é.....

O problema é que ela não estava habituada a ter de ser ela a segurar-me.

Ha pessoas que acham que aquele que nos ouve e entende está sempre bem, sempre de sorriso na cara, sempre pronto a dar a mão ou o ombro para chorar sem nada pedir em troca.

Pois bem... chegou a altura em que eu dei uma queda, e das valentes!

E ela........


não soube estar lá para mim....


Acredito que o quisesse, mas não soube lidar com o facto de naquele momento a amiga sempre disponível para ouvir e aconselhar se encontrar fora de serviço!

Não digo que a culpa de termos rompido a nossa amizade é apenas dela claro que não, foi das duas!

Era o que faltava a culpa morrersolteira!

Até podíamos ter ultrapassado tudo, mas se por um lado o timing não era o melhor para que pudéssemos clarificar as nossas diferênças, houve atitudes da parte dela que me magoaram profundamente...


Porque pior do que dizer na nossa cara o que realmente se sente por mais que se vá magoar esse alguém é cair no silêncio!

Hoje, e já de cabeça fria, consigo perceber que para ela é muito difícil lidar com o "mal dos outros"

E faz todo o sentido!

Alguém que:

- Nunca gostou de si mesmo;

- Alguém que tem um nível de auto-apreciação extremamente negativo!

- Alguém que lá porque tem um emprego satisfatório afirma não precisar de mais nada, para além de poder ter uma vida dita estável!
Afirmando não precisar de ninguém a seu lado para ser feliz!

Não porque não o deseje, mas sim por ter medo de o viver...
- Alguém que Faz do trabalho a única base sólida do seu viver deixando de lado Vida amorosa e melhores relações interpessoais!

Como é que Uma pessoa assim poderá ser capaz de ajudar alguém?

De perceber que aquela amiga que julgava forte também se quebra?

Por isso que eu digo! nunca poderemos ser capazes de ajudar, e saber lidar com as dificuldades dos outros, se não conseguirmos aceitar as nossas para que ao aceitá-las as possamos ultrapassar!

Se isso me deixa triste claro que sim...

Mas há coisas que não se pódem mudar...

Há fios que se vão desenrolando na nossa vida e por mais que os tentemos voltar a enrolar o novelo acaba por se encher de nós!

E é por isso que gosto desta frase:

"quando alguém te mostrar aquilo que verdadeiramente é, acredita à primeira"!
Concluindo: De tudo isto o que mais me entristece, é o facto de saber que continua a mesma pessoa só e sem auto-estima e que não se apercebe que se não for ela a querer mudar nada irá deixar de ser o que é!
Se me faz falta essa amiga? Já fez... neste momento prefiro sorrir ao lembrar todas as coisas boas e verdadeiras que vivemos enquanto a nossa amizade foi sincera..
Gostava que ela fosse feliz e pudesse viver o muito que não conhece, mas se não tentar ir à luta por aquilo que merece ser e ter nunca o será.

10 comentários:

A Flor disse...

Apesar de querermos ajudar os outros, é impossível ajudar alguém se essa pessoa nos magoa. É o instinto da auto-preservação que nos afasta dessas pessoas. É triste, mas é assim.

Bailarina disse...

Fogo, que lição que acabaste de nos dar... 8)
Bjinho*

Corset disse...

e não vale a pena reatarem o que tinham? esquecer o que se passou e começar de novo? **

Pinkk Candy disse...

olá

pois é, também já fui desiludida com amigas, que pensava serem mesmo amigas e afinal não eram, uma pessoa fica muito triste quando isso acontece. eu fiquei, porque pensava que eram mesmo amigas, porque eu era amiga. temos que seguir o nosso caminho, não é?

quanto à tua pergunta sobre o livro, este chama-se:
Precious
A Força de uma Mulher
de Sapphire

kiss

Petra Pink disse...

A flor: pois e ela magoou-me imenso...
Mas acredita que se magoa muito mais a si mesma com as ideias errónias que tem acerca dela mesma.
Bailarina não é uma lição, é uma história triste, e das mais tristes que me aconteceram.
Mas já passou.
Corset: eu nunca digo nunca e não guardo qualquer rancor do que se passou...
No entanto sinto que ela destilou veneno de mais para eu conseguir voltar a ser amiga dela.
Mas que era óptimo que o que aconteceu nunca tivesse acontecido era.
Pink... obrigado pelo nome do Livro vou procurar na rede em que pertenço. beijo enorme as 4.

Anónimo disse...

Do pouco que pude perceber, acho é que essa gaja não passa é de uma grande frustrada...
Daquelas que ninguém pega nem por favor...
Porque alguém que faz do trabalho a única base sólida da sua vida é porque a mais nada tem a que se agarrar...
Não te preocupes não estou a deitar para o ar sei de quem falas.
E por te conhecer como te conheço e saber a grande mulher que és te digo que não vale a pena te preocupares com tal pessoa.
Como bem dizes, destila veneno porque não suporta a felicidade dos outros.
E a felicidade de alguém como tu... que já superou tanto na vida Sara, deve lhe fazer uma confusão terrível.
A teu lado deve se sentir mesmo pequena...
Pena para ela que te perdeu...

Petra Pink disse...

Anónimo, gostava antes de mais que se identificasse.
Não sei se conhece a pessoa em questão.
Contudo as coisas não são assim tão lineares.
Não foi só ela que perdeu a mim, perdemos uma à outra!
Ela errou muito sim, mas prejudica-se mais a si mesma do que própriamente aos outros.

Anónimo disse...

Sabes uma coisa?
Realmente é muito complicado perder uma amizade, pricipalmente quando é verdadeira, forte, profunda...
O que me custa ao ler tudo isto é o facto de manchares essa amizade expondo-a assim desta forma...
A amizade terminou, mas tudo que voçês viveram juntas aconteceu, existe nas vossas lembranças e existirá para sempre...
Falar aqui assim, por pura mágoa e questões internas não resolvidas assusta-me um pouco, porque devia ficar em ti, com o maior respeito e com a maior saudade.
è obvio que o que nos incomoda, tambem mexe conosco e sabes, acho que tens saudades.
Conheço a pessoa em questão, amo-a de coração e acredito que dentro dela nunca vai esquecer o que voçes como amigas passaram juntas....
Tenho uma amiga há 19 anos e a dada altura passamos um ano sem nos falarmos, por questoes más e de mágoa....e curiosamente como é verdadeiro o que sentimos, cá estamos para 19 anos mais...
Não te conheço, e passo aqui com o maior respeito, acredita,só para te dizer que se calhar a vida não tem que ser tão linear nem nós tão dramáticos, que o crescimento custa mais a uns que a outros e que muitas vezes apenas temos que aprender a ler os outros, a perdoar, a aceitar a diferença e a controversia..
Sem mais.
Uma amiga que apesar de não conhecer a vossa história, comenta aqui uma história de duas vidas.
Felicidades.

Petra Pink disse...

Anónimo 2º Como ja disse agradecia que se identificasse...
Bom tenho a dizer que este comentário não me parece muito coerente...
Pois por um lado afirma não me conhecer, por outro já diz que conhece a pessoa de quem falo e até afirma amá-la de coração?
Curioso.
Bom mágoa já não tenho... Passou... E ainda bem.
Em relação a dizer que exponho aqui a nossa amizade manchando-a?
Caro anónimo, não mancho nada porque nem sequer digo quem é essa pessoa, e porque a nossa amizade...
Já não existe...
Por isso nada ha a manchar.
Saudades?
Ora aí está algo que disse com razão.
Tenho saudades da amizade sincera que tivemos.
Porque embora tenha a sorte de ter bastantes amigos, cada amigo para mim é único e essa amiga que já o foi e já não o é... era mesmo muito especial...
Obrigado pelo comentário.

Anónimo disse...

Oi pinkita só agora vi este post.
Conhecendo como pude conhecer a força da vossa amizade apesar de por pena não ter conhecido a outra menina, não me leves a mal se te disser que acho que deviam por uma pedra por cima disto!
Estive presente nessa tua queda e o que passaste não desejo a ninguém.
Mesmo assim acredito que ela tenha sofrido por não ter podido / sabido fazer algo por ti.
Sei que é fácil falar, sei também que não quero que me aconteça o que te aconteceu a ti.
Mas como mais madura do que ela, como a irmã mais velha que eras porque não abordá-la?
Sinto que ela gostava e gosta de ti.
Desculpa o longo texto.
Inês